quinta-feira, 5 de julho de 2012

[0201] DA MINDELENSE CASA CONFIANÇA, PARA A SUÍÇA

Em mais um dia comemorativo da independência de Cabo Verde, o PRAIA DE BOTE resolveu dar uma volta pelo seu arquivo, para aqui deixar algo de interessante (como é uso) para os leitores do blogue. Depois de vasculhar durante um bocado, encontrou esta carta enviada da Casa Confiança, sediada na Rua da Luz (perto da nossa praia), para a Suíça. 

Remetida para JENNY, SPOERRY & CIE., em Ziegelbrüke, na Suíça, a cartinha parece ser de 1972 e a empresa à qual se dirigia, fundada em 1863 e encerrada em 1992, era de têxteis, na área do algodão.  Encomenda? Pagamento? Mistério que pouco interessa resolver, já que o facto de demonstrar mais uma vez as importantes ligações do arquipélago (e sobretudo do Mindelo) ao Mundo só por si chegam para nos entusiasmar. Ou seja: ilhas sim, mas isoladas, nunca...

Imagem eBay

3 comentários:

  1. Casa Confiança dos meus amigos Grais e Azeitona, militares portugueses desmobilizados em C.Verde e que por lá ficara, por lá casaram e construíram as suas vidas, num ciclo que se interrompeu em 74/75, ao sopro dos ventos da História...Por lá passei muitas horas a tratar da contabilidade e da correspondencia em inglês...Até posso ter sido eu a endereçar este sobrescrito!

    ResponderEliminar
  2. CASA CONFIANÇA,loja de tecidos para confecções e de pronto-a-vestir,gozava no seu tempo dum grande prestigio no Mindelo, ao lado das outras firmas suas concorrentes, pois se a memoria não me folha, era dos poucos que tinha letreiro luminoso. Foi vizinho da CASA GASPAR,que por sinal consegue resistir, e ainda hoje la está vendendo as suas velharias. Aquele prédio de três pisos, com Igreja matriz mesmo em frente, liga a rua da luz com rua da moeda, e largo do madeiral, gosa duma localização privilegiada no centro histórico da cidade apesar da sua visível degradação.Hoje, no lugar da Casa Confiança no prédio está um chinês, como nas varias lojas antigas da cidade.Será este o fenómeno da globalização??

    ResponderEliminar
  3. No primeiro andar desse prédio tive eu explicações de inglês. Entrava-se pelo lado do Largo do Madeiral, subia-se uma escadaria de madeira e lá em cima, numa casa que me parece que só tinha dois quartos, um velhote inglês ensinava a língua natal. O quarto estava decorado com fotografias de revistas do tempo da guerra: a rainha Isabel II ainda princesa, destroyers da Royal Navy, aviões da RAF em voo picado e por todo o lado o cheiro do canhote do locatário que fumava sem parar. Também morou nesse prédio um casal de portugueses, ele marinheiro telegrafista da Capitania, o senhor Mendes. A esposa era a D. Fernanda. Tiveram um filho, o João, que nasceu no Mindelo. Encontrei-os há poucos anos, em Lisboa.

    Braça, Marco Soares

    ResponderEliminar