quarta-feira, 25 de julho de 2012

[0224] O ASPECTO REAL DAS CAIXAS DE CHUINGAS DANDY (ver também o post 223)

Tanto procurei que dei com o aspecto real das chuingas Dandy na sua caixinha, tal como eram vendidas diazá no Mindelo. E esta versão com as imagens que davam ilusão de movimento era de 1963, como aqui se vê. Deixei o endereço propositadamente à vista, para quem quiser dar uma passagem de olhos no site onde encontrei a imagem. Do chefe índio, não me lembrava. Mas dos outros três, sim: as raparigas do can-can, o moinho de vento e o cão com a mosca no nariz (esse tive-o mas levou descaminho).

Também dei com a história da empresa americana Vari-Vue que inventou a visão lenticular (1930). Ver no post anterior o verso de dois dos quadradinhos que ainda se mantêm visíveis na minha colecção. Para ver a história da fábrica, clicar na palavra Vari-Vue.

A Internet tem tudo, de facto. Basta é saber procurar.


2 comentários:

  1. O João Manuel Nobre de Oliveira não conseguiu entrar no posta anterior, mas aqui fica a sua colaboração que enviou por email:

    Isto lembra-me a minha infância na Assomada. Coleccionava estes bonequinhos e trocava com os meus amigos. E tenho algures um álbum de cromos, de actores, claro. Comprávamos "chuingas" a mais para ter a colecção completa. Coisa impossível. O que nos valia eram as trocas.

    João Nobre de Oliveira

    ResponderEliminar
  2. Eu também não consegui inserir no post anterior um comentário adicional, em que procurava dizer mais qualquer coisa sobre o tal Mitchel, e isto porque o Djack afirmou não se lembrar dele.
    Pois o Mitchel estava no auge da sua actividade comercial de vendedor ambulante das ditas e variadas goluseimas e tabaco americano no tempo em que o Djack viveu no Mindelo. Ele usava um cabelo denso e com uma popa a imitar o actor então badalado chamado Tony Curtis. Por sinal, até tinha umas semelhanças fisionómicas com o actor, não obstante a diferença étnica. A sua indumentária dilecta era constituída por jeens apertadas e camisa branca de manga dobrada nos pulsos, juntamente com sapatos ponteagudos. Palrador e pirracento, tinha uma voz grave e tonitruante que se fazia ouvir nas salas do Eden Park ou do Park Mira Mar quando havia cortes acidentais nas fitas durante a projecção dos filmes. Lembro-me de um dia o John, filho do Tuta, o dono do cinema, ter dito pela aparelhagem do cinema: "Ó Mitchel, olha que a tua voz é bem conhecida". O nosso homem era também um exímio jogador de ténis de mesa, tendo sido campeão de Cabo Verde, segundo me contou há poucos meses o saudoso Zizim Figuera. Relembro que o Zizim escreveu uma crónica sobre ele, a meu pedido. Enfim, o Mitchel era um mindelense típico e muito popular,e também figura simpática e cordata. Infelizmente, deixou-nos há alguns anos.

    ResponderEliminar