quarta-feira, 31 de outubro de 2012

[0273] Matiota, ó que sôdade...


Amanhã à noite, teremos o regresso de Adriano Miranda Lima com mais um dos seus interessantíssimos textos sobre a força expedicionária portuguesa a S. Vicente no período da II Guerra Mundial. Entretanto, com o patrocínio da Casa do Leão, vamos todos dar um mergulho à Matiota (ou ficar a boiar de papo para o ar "na tanquim"). Convirá dizer que nesta altura aqui o administrador do PRAIA DE BOTE estava em S. Vicente e que é bem possível que um daqueles pontos pretos lá adiante seja da cabeça dele... Quanto à menina que escreve o postal para o seu amigo, apagámos o segundo nome e o apelido. Também convirá referir o salto técnico da Casa do Leão que antes já publicara postais, mas a branco e preto. Agora, era o momento da cor.


6 comentários:

  1. Claro que as saudades, de que partilho, nada têm a ver com o desconforto dos seixos negros que as ondas arrastavam com um som característico, porque a areia, também ela negra, não abundava...A alternativa para quem não tinha carro para ir até à Baía das Gatas, seria a Laginha que, na altura, era uma praia perigosa, só para os destemidos...Diga-se, por curiosidade, que a praia era a PRAIA DOS FALCÕES!

    ResponderEliminar
  2. Esta praia da Matiota de muitas recordações. Restou a Laginha até quando.
    Enfim dizem que recordar é viver.
    José F Lopes

    ResponderEliminar
  3. Quantos mergulhos feitos na Matiota! Todos os dias ia la nadar. Belos tempos que ficaram na minha recordaçao. Foi na Matiota, na pequena piscina que aprendi a nadar. Fernando

    ResponderEliminar
  4. Chamávamos à tal pequena piscina "tanquim". Eu ficava lá sempre a boiar e a fingir de morto...
    Confesso que nunca me atirei do trampolim. Isso era para os verdadeiros "sports". Eu era apenas um "sport" muito mas mesmo muito amador.

    Braça flutuante,
    Djack

    ResponderEliminar
  5. A Matiota, lugar de recordações. Encerra aspectos da mundivivência mindelense e caboverdiana (pois que pessoas de várias ilhas também frequentavam esta praia) no Mindelo, esta cidade que era na realidade um pequeno e pobre burgo, mas cheio de dignidade, nobreza intelectualidade e alegria . Ao lado Praça Nova e da saudosa Estrela, Matiota era um lugar de encontro da população mindelense de todas as cores, feitios e origens: ricos, pobres, novos e velho. Aconteceram, neste local, coisas maravilhosas : paixões, namores, aventuras, pesca submarina, natação, ginástica, acrobacias, desfile das beldades da nossa pacata cidade, piqueniques, noites cabo-verdianas etc. Enfim tudo o que fazia o pulsar e o dinamismo desta ilha.
    José F Lopes

    ResponderEliminar
  6. Olhando para a fotografia da Praia de Bote do nosso amigo Saial e lembrando do artigo do Picau aqui publicado pensei que faz falta um projecto para revitalizar a nossa Praia de Bote. Nos anos 80 uma jornalista francesa viu um certo estilo Cote de Azur França na nossa Baia do Porto Grane de se calhar no Mindelo. E eu que conheço bem a Cote d’ Azur posso confirmar que o potencial está aí, enquanto a mão do homem não escangalhar tudo. Pois desde a Independência que se vem estragando a nossa linda cidade, a começar pela magnífica Fazenda e o paço da CMCV não se esquecendo da Matiota é claro, que foi uma partida de mau gosto contra os mindelenses. Mas como fazer coisas bem feitas e bonitas se o pessoal dirigente não sai ou quando o faz é para fazer compras&rabidâncias, não olhando com olhos de ver as coisas bem feitas. Pois o ‘crioulo’ tem na realidade dado cabo, se não vandalizado, muita coisa do património urbano e cultural que lhe foi legado pelas gerações anteriores. É preciso um sobressalto para dignificar a nossa cidade. Já escruto em vários artigos da necessidade da Requalificação urbana da nossa cidade e da utilização dos Fundos Regionais da EU, para as Regiões Ultra Periféricas. Embora as Câmaras não tenham diplomatas pois ainda não temos as sonhadas Regiões em Cabo Verde, o pessoal lá na CMSV tem que ver a melhor maneira de se encostar junto da EU para resgatar alguns fundos, não ficando sempre a espera do governo. Penso que a CMSV tem que pensar na Requalificação Urbana da baixa Mindelense, incluindo a Praia de Bote e da sua Classificação em Património Histórico. É preciso um grande projecto para a cidade do Mindelo.
    José F Lopes

    ResponderEliminar