segunda-feira, 8 de julho de 2013

[0497] Comemorações prévias do 500.º post - Flash 2 de 4 (o 4.º será o post 499) VER NOTÍCIA E FILME EXTRAS SOBRE O MINDELENSE NO FINAL DESTE POST


Uma das virtudes sempre presentes no PRAIA DE BOTE, ao longo deste meio milhar de posts, tem sido a das colaborações - todas importantes e de grande qualidade. Mas uma, vinda directamente do Mindelo, merece destaque nestas comemorações, obviamente sem desprimor para as restantes. Trata-se dos envios feitos pelo nosso amigo Zeca Soares, em geral, acompanhados de fotos. Hoje, mais uma vez, aqui apresentamos imagens suas, bem curiosas e representativas da sobrevivência que dia após dia é apanágio das ilhas verdianas.

Trata-se de um tomateiro pirata, surgido em Fonte Francês, para alegria da população local e dos passantes que o têm mantido intacto - veremos até quando.

Fonte Francês (imagem de diazá) - c/ gralha "Fonte Francis", por o postal ser de origem inglesa
Foto Zeca Soares
Foto Zeca Soares
Deixemos os nossos leitores com uma foto de pormenor e as palavras do Zeca Soares:
Foto Zeca Soares (pormenor)
É uma espécie que consegue resistir as secas, e nasce no meio dos arbustos, pelos campos da ilha de São Vicente, sobretudo nos períodos de chuva. Reproduz-se em grandes quantidades e é vendido, imagine-se ao litro. Mas desta vez, veja-se onde este pézinho de tomate foi deitar raiz, crescer, e reproduzir-se: nas paredes de uma habitação, como se pode ver pelas fotos. Há mais de um mês que apareceu, e hoje dia 3 de Julho, continua no mesmo lugar. Não sei o que vai ser daquela parede, quando a chuva chegar lá para o fim do mês.

Pergunta o Pd'B: como estará agora o pé de tomate? Terá sido colhido? Ter-se-á desenvolvido ainda mais?

1.ª MÃO DA FINAL DO CAMPEONATO DE CABO VERDE: MINDELENSE GOLEIA ACADÉMICA DO PORTO NOVO COM 2 TENTOS DE ADIR E UM DE DUKINHA -  Ler notícia AQUI

11 comentários:

  1. Guardo na minha memória as idas ao Feijoal Preto onde o meu avô materno tinha uma propriedade e cultivava uma espécie de tomate que deve ser a apresentada pelo Zeca Soares. Lembro-me de tinham de andar atrás de mim porque comia-os mas antes deitava as sementes em qualquer lugar. Depois ensinaram-me que as sementes tinham de ser aproveitadas.

    Compro aqui esta "pomme d'amour" conhecida por "tomate cerise".

    ResponderEliminar
  2. Aliás, o postalinho que coloquei de propósito para se ver como era Fonte Francês em 1905, não mente. Ali se vê boa agricultura.

    Braça com salada,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. Bom dia

    Será que poderiamos trocar algumas informações por e-mail sobre Cabo Ver-S. Vicente? Sou educadora na Santa Casa da Misericórdia de Almada e estamos a dar respostas a alguns dos sonhos de vida dos nossos utentes. Um dos sonhos de vida de uma das utentes que é invisual é ver e sentir de novo S. Vicente... Pensámos fazer uma espécie de uma viagem sensorial até Cabo Verde. Como autor deste blog , pensei que talvez nos pudesse ajudar a encontrar alguns contactos... de grupos que cantam musicas de cabo verde... ao nivel de comidas...de cheiros..
    Aguardamos ansiosamente um contacto. O meu email é sandra.santa.barbara @gmail.com

    Melhores cumprimentos
    Sandra de Santa Bárbara

    ResponderEliminar
  4. Responderei em breve, com todo o gosto,

    Cumprimentos,
    JS

    ResponderEliminar
  5. Como Colaborador com residência permanente, em São Vicente, seria um prazer dar mesmo que seja modesta uma colaboração possível, "é claro"

    ResponderEliminar
  6. Cara Sandra Santa Bárbara,
    Já lhe enviei por correio electrónico diversos contactos de interesse, tendo em vista o que me pediu.
    Sempre ao dispor,
    JS

    ResponderEliminar
  7. Sobre os tomatinhos que se vendem ao litro (!) tudo se explica com uma frase que ouvi em pequeno: "Semeando, dá!"
    Quanto à cabazada do Miondelense, que me perdoem a indiferencia mas eu sou "Micá"...
    Desejo, ardentemente, que Santa Bárbara leve a sua carta a Garcia!
    Manrenha para todos,
    Zito

    ResponderEliminar
  8. Invejas, invejas... Nada como a equipa vermelhinha da Rua de Praia. Vamos ver o que sucede na próxima mão.

    Braça com gooooooooooooooooloooooooooooooooooooooooooooooo,
    Djack

    ResponderEliminar
  9. E anda por aí outro gatchóde que queria que fosse o grande e honroso Castilho... Mas só um pode sair vencedor este ano e vai ser o conjunto da minha rua, ai isso vai mesmo.

    Braça com ondas rebolando-se na Praia de Bote,
    Djack

    ResponderEliminar
  10. Primeiro, os tomatinhos. No ano passado, vi S. Vicente essa espécie de tomate, de que já nem me lembrava. Fico a saber que é uma espécie resistente e a prova disso está bem patente nas imagens.
    Quanto ao Mindelense, o único facto que relevo é a existência de adversários na competição indígena onde antigamente nem em sonhos se imaginava. O futebol era em S. Vicente e Praia. Mas é bom registar o progresso, se bem que nem por sombras admito que um clube de S. Antão consiga vencer o meu Mindelense. Ou, a acontecer, esse Mindelense já...foi.

    ResponderEliminar
  11. Vamos fazer figas!!! Mas parece-me que a vitória e mais uma taça estão no papo.

    Viva o Mindelense! Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
    Viva a Rua de Praia! Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!
    Viva a Praia de Bote! Vivaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa!!!

    ResponderEliminar