sábado, 12 de outubro de 2013

[0592] Dr. Aníbal Lopes da Silva e Eden Park ou um dentista num programa de teatro...

Dr. Aníbal Lopes da Silva (1915-2009)
Nos velhos e áureos tempos do teatro e do cinema, em termos de público, estas actividades culturais e de lazer obedeciam a um certo ritual que os mais velhos recordam com saudade e que os mais novos - infelizmente para eles - nunca saborearão (para sua desgraça, só são acompanhados nos filmes pela inevitável coca-cola e pelas pipocas barulhentas e de cheiro agoniante): arranjavam-se os cabelos, vestiam-se roupas vistosas e nos intervalos aproveitava-se para no foyer colocar em dia a conversa... Outro ritual era o da leitura do programa que umas vezes era gratuito e noutras, raras, se adquiria por pouco dinheiro. Ali se encontrava uma sinopse do filme do dia, anúncios dos previstos para breve e publicidade que ajudava a pagar o programazinho.

Pois o programa do Eden Park de Novembro de 1943 que temos vindo a exibir (oferecido ao Pd'B por Adriano Lima) tem também muitos desses anúncios. Um deles foi pago e faz propaganda à actividade profissional de uma personalidade do Mindelo que todos conhecemos e que deixou boa memória na cidade onde viveu a maior parte da sua longa vida de 93 anos. Trata-se do médico dentista Dr. Aníbal Lopes da Silva, nascido em 1915 em Ponta do Sol, Santo Antão e falecido a 29 de Março de 2009, há pouco mais de quatro anos.

Também em mim este fundador da Cruz Vermelha de Cabo Verde deixou uma excelente recordação. Estivemos juntos várias vezes. A primeira, em 1999, quando regressei ao Mindelo e fiz uma palestra no Centro Cultural Português, a que ele assistiu. A segunda, em 2002, quando ali voltei para lançar o romance "Capitania". No dia da minha chegada jantámos um esmoregal gigantesco  num restaurante da Rua de Lisboa com a Dr.ª Ana Cordeiro, directora do CCP, antes de no dia seguinte ele me fazer o favor de apresentar o dito romance no CCP. Estava lá a tocar o Malaquias, também ele já desaparecido... E dias depois seguimos para a Praia no mesmo avião, eu para fazer uma palestra e lançar o livro no Palácio da Cultura e ele para participar num Congresso de Cabo-Verdianos na Diáspora. Algures entre 2002 e 2009 esteve na minha casa a almoçar com a esposa e levei-o ao Cristo-Rei. Com que rapidez ele subiu as escadas que ainda há após a saída do elevador... Estava em forma, com cerca de 90 anos. Ainda o vi uma derradeira vez na Associação dos Antigos Alunos do Ensino Secundário de Cabo Verde...

Aqui ficam pois o anúncio do então jovem médico de 28 anos e uma fotografia sua de 2002 no aeroporto de São Pedro, hoje de Cesária Évora, enquanto aguardávamos embarque para Santiago.

8 comentários:

  1. O Dr.Anibal, para alem de meu destista - e de toda a família - concedeu-me o privilégio de ser meu amigo. Tinhamos em comum o programa da Rádio Barlavento "Revista Sonora" que da sua responsabilidade passou para o Xico Mascarenhas e deste para mim...Era um expoente da sua profissão e, numa época em que as viagens aéreas entre Lisboa e S.Vicente não eram muito caras, não eram raras as pessoas, sobretudo militares que tinham prestado serviço em S.Vicente e seus familiares, que se deslocavam ao Mindelo para tratamento odontologico. Aqui, aproveito o ensejo para recordar Jaime St'Aubyn, braço direito do Dr.Anibal durante décadas, meu querido amigo que Deus teve por bem chamar prematuramente...
    Zito Azevedo

    ResponderEliminar
  2. Um dos Grandes de Cabo Verde e que está tendo a mesma sorte que outros dessa geração: esquecimento ou não reconhecimento.

    A primeira ideia que tenho do Dr. Anibal é do tenente médico (incorporado em S.Vicente); depois é do dinâmico dirigente do Grémio, lugar tenente do cunhado Mendo Barbosa, outro incondicional dessa agremiação a ponto do meu Amigo Fernando Frusoni um dia dizer "Nhô Mendo era o dono do Grémio".

    Dr. Aníbal estava em todas, em tudo quanto era cultura. Ele nunca faltou um espectáculo dos teatros do Castilho (estreias e reprises) para onde ia com o citado Nhô Mendo, Dr. José Fonseca e mais alguns. Golfista, quando me encontrou depois da morte do meu Pai, disse-me "o Hermínio deixa-me muita falta".

    O meu comentário é para agradecer o Praia de Bote esta campanha de lembranças no momento em que o Liceu se apresenta no mesmo declive por onde passaram o Fortim, a Casa Adriana e, em certa medida, a Casa que era da Cultura, a nossa Universidade Popular: - Éden Park, ali pertinho da Casa do que foi Deputado, Senador Vera Cruz

    Nota: - Segundo dizem o edifício do Éden Park, frente à Praça Nova, está reduzido a retrete aberto

    ResponderEliminar
  3. A história de Soncente e do Eden Park parece-me a do filme que passou pelos palcos desta digníssimo universidade de cultura: E Tudo o Vento (do ...) Levou (advinha para onde. Ah Ah Ah. Se ganhares esta advinha tens um bilhete virtual (ah aha, pois não querias um real ) na Plateia do Eden Park Virtual). Nestas coisas tristes um bocadinho de humor 'pra desprajar' faz bem.
    Não me admira que o palácio acabará em retrete e enviad para o Lixo da História tendo em conta a inutilidade daquela velharia para muito mindelenses

    ResponderEliminar
  4. Estou sem computador e socorro-me um iPad, mas com dificuldade. Estou fora de casa. O Joaquim faz um uso fantástico de uns prospetos de uns prospetos que lhe enviei. A última vez que vi o Dr. Aníbal foi numa palestra sobre o Dr. Baptista de Sousa. A única coisa que me liga a ele foi ter comprado uma propriedade em S . Antao chamada Santa Bárbara e que fica a saída da povoação a caminho da Ribeira Grande. Foi onde nasceu o meu pai e isso mexe comigo, claro. não sei se ainda pertence a família do falecido Dr. CUomo vêem, isto tem falhas gráficas ao nível de acento, porque não sei onde os encontrar no iPad,.

    ResponderEliminar
  5. Amigos Esta notícia fresquinha saída em 10 de Outubro de 2013 no Expresso das ilhas o chineses prometem transformar Palácio Presidencial em obra de luxo em 15 meses dá uma percepção da ideologia actual que reina em Cabo Verde. Ela passou quase desapercebida mas cai a pique:

    http://www.expressodasilhas.sapo.cv/sociedade/item/40169-china-promete-transformar-palacio-presidencial-em-obra-de-luxo-em-15-meses#itemCommentsAnchor

    Eu não tenho nada contra esta obra de luxo neste Palácio para melhor acolher o Presidente da República, mas dá para indagar muita coisa.
    Amigos tenho pena de dizer isso mas está aqui a razão para não mudar de ideias, esta casa é da alçada do Estado de Cabo Verde, eles que encontrem solução(dinheiro) para isso. Acabou o tempo da militância/angariação de fundos. Se entrarmos num esquema desses vão rir-se de nós, tratar-nos-ão de parvos e até seremos insultados pelos fariseus de costume que nos acusarão de démodés e ultrapassados e outos insultos. Mas continuo a perguntar porque é que não tiram meio milhão dos 500 milhões que pensavam entupir na CIDADE ADMINISTRATIVA na Praia e recuperam o Liceu Velho, ainda sobravam 495.5 milhões . Para estes luxos de burocratas estarem bem instalados 5 estrelas, na boa sentados em poltronas sabem ir bater as portas para encontrar dinheiros mas para outras coisas fundamentais a desculpa é que Cabo Verde é pobre. Mas eles tem os contactos internacionais e diplomáticos eles que façam qualquer coisa para esta maior casa caboverdiana, escola de todos, ajudando os poderes locais ou nacionais a encontrar fundos Sabem uma coisa até são capazes de boicotar tudo e lixar o Liceu. Ouvi dizer que a raiva que meteram na demolição da Casa Adriana foi por motivos políticos pois andámos a incomodar os poderes instituídos com a mania da preservação, e eles mostraram daquilo que eram capazes. Mas uma coisa é certa, não há dinheiros mas quando querem correm a Seca e Meca para obter tudo o que querem. Como escrevi noutro comentário, afinal há dinheiros para tanta coisa mas para O Liceu que foi dos sítios mais prestigiados de Cabo Verde por onde passou toda a elite actual de CV não aparecem dinheiros. Para outras coisas é o frenesim, para o Liceu é bandalheira total, o blackout total ou mesmo parece tabu. Incompreensível, não percebo a ideologia cabo-verdiana actual. É inacreditável, Cabo Verde está a ficar o reino da hipocrisia: choram homenageiam mas é tudo falso.
    Outra coisa enquanto que na cidade da Praia se desenvolve implantam-se sedes de luxo hotéis de luxo, vai ser a cidade do Sec XXI a nossa ilha caminha para os esgoto miséria franciscana, pobreza endémica entranhada na ilha, os nossos edifícios históricos estão condenados a serem retretes e ficarem expostos unicamente às visitas das baratos e dos ratos pois velharias condenadas ao Lixo da História. E os culpados são os preguiçosos mindelenses. Este é o Cabo Verde da decadência. Só posso dizer God damn it.

    ResponderEliminar
  6. A ultima vez que vi o Doutor Anibal foi em 2005 no Centro Cultural do Mindelo numa homenagem feita ao meu pai.e onde foi colicada uma placa em sua memoria. Quando me viu abraçou-me com muito afecto e disse-me: "Fazes-me lembrar o teu pai que tanto estimava." Foi um grande homem. Recordo-o com saudade. Fernando

    ResponderEliminar
  7. Não podemos depositar as armas (da palavra) na arrecadação enquanto se mantiver esta nossa angústia pela ameaça que vemos pender sobre a nossa terra. Pergunta-se o que é que vão fazer os chineses naquele Palácio. Só faltaria que lhe introduzissem traços da arquitectura tradicional chinesa. Agora temos de esperar por tudo.
    Com muito regozijo vejo que o PdB está a servir também, e em boa hora, como espaço para depositarmos a nossa opinião sobre as coisas da nossa terra. Sobre o que é preciso fazer e também sobre o que não se deve fazer. Fazemo-lo com o único objectivo de um exercício de cidadania dentro dos padrões de civilidade e visando apenas o interesse público. Sem qualquer intenção político-partidária, e sem outro móbil que não seja um despretensioso exercício de cidadania. A nossa terra o exige. E é gratificante que o Djack, cabo-verdiano dos mais puros, no-lo consente nesta pitoresca "Praia".

    ResponderEliminar