quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

[0666] Fotos de hoje: Banda Municipal de São Vicente mantém tradição de oferecer Boas Festas de Ano Novo às gentes do Mindelo

Fotos frescas de hoje, directamente do Mindelo e da máquina do nosso repórter fotográfico especial Zeca Soares, onde se vê a Banda Municipal de São Vicente dando as Boas Festas à população do Mindelo. Caso para dizer que ainda há tradições que são o que eram. Um muito, mas muito obrigado ao nosso amigo e colaborador, pela oportuníssima oferta. VER E COMENTAR POST ANTERIOR, com este relacionado.

Foto Zeca Soares

Foto Zeca Soares

Foto Zeca Soares

Foto Zeca Soares

Foto Zeca Soares

10 comentários:

  1. Da Rua de Senador à Rua de Lisboa, desta à Rua da Moeda, quantas vezes fui eu acordado pelo Recordai Aquele Que Está no Sono, nos sons metálicos da Banda do Mindelo? Quantas vezes esses sons, hoje tão distantes, me despertaram para o calor do primeiro dia de um novo ano? Quantas vezes eu vi a Banda passar, seguida de um magote de gente tão cheia de esperança que cantava e dançava com o frenesim das alegrias breves? Quantas ´memórias de S.Silvestres inenarráveis, do caldo-de-peixe madrugada dentro, do forróbódó horas a fio, da exaustão e da Banda a arracar-nos, de manhã, dos braços de Morfeu...Quem me dera!

    ResponderEliminar
  2. Eu só tive essa sorte três vezes mas deu para ficar a memória para toda a vida.

    Braça com metais, bombo e caixas,
    Djack

    ResponderEliminar
  3. A passagem de Ano e o dia do Ano Novo era qualquer coisa um evento tão comparável com o Carnaval. Desde que saí de CV em 1978 nunca mais assisti um. Os tempos mudaram não é o mesmo temperamento 'bon enfant' mas mesmo assim o importante é que a tradição perdura. O potencial está intacto só precisa de melhores condições para que a festa continue ou seja continue SABE pois SONCENT ERA SAB E MESMO ASSIM AINDA TA CONTINUÁ SABE

    ResponderEliminar
  4. As fotos recente enviadas ao PdB são de eventos antigos - costuma-se dizer "do tempo de caniquinha" - mas são de todo o tempo no espaço mindelense. Para quem não viu isso hà tempo em penca sente uma "alegria triste" (ou tristeza feliz?) porque não vai ver isso tão cedo, talvés até nunca mais.
    Por isso é que passamos pela "Praia de Bote" varias vezes por dia para vermos a aisagem e o movimento de um lugar onde todos passam a qualquer hora do dia e da noite.

    ResponderEliminar
  5. Eis imagens que me compensam de não ter conseguido ver em 1 de Janeiro de 2004 a Banda Municipal a tocar as Boas Festas pelas ruas do Mindelo. Bem me esforcei nesse dia, levantando logo "plumanzinha", para assistir ao que deixara de ver muitos anos atrás. Mas devo ter andado com o passo desacertado com a Banda, como expliquei num post anterior, porque não a topei em nenhuma das muitas ruas que percorri. A tradição mantém-se, como as imagens demonstram, mas dá para ver que a Banda Municipal deixou de ter farda, o que é de estranhar, embora isso não belisque os ecos nostálgicos que me chegaram com este post.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Num primeiro momento, tive a mesma impressão do Adriano. Mas analisando as fotos com mais detalhe, verifiquei que pelo menos em duas se vêem calças de farda com vivo dourado ou amarelo. O que deve ter acontecido é que a farra nocturna foi tão grande que de manhã as fardas ou não foram encontradas ou os músicos só deram com parte delas. Mas que dá um ar de bandalheira que Nhô Reis, Jorge Cornitim ou Luís Morais nunca permitiriam, isso é verdade.

      Braça mode coreto de Praça Nova,
      Djack

      Eliminar
  6. Só pode ter sido isso, Djack, efeito da boa farra da véspera. Mas nho Reis não permitiria isso, não senhor. Foi o único professor que me aplicou uma "falta de castigo" por causa de uma confusão na aula de canto coral em que me vi metido no barulho sem saber ler nem escrever. Mas claro que preferia ver a Banda bem fardadinha. Em 2003, vi-a actuar no Coreto da Praça Nova bem fardada.

    ResponderEliminar
  7. Como informação complementar, devo acrescentar que de facto é preciso ficar atento pois não existe um horário fixo para esta actividade por parte da Banda Municipal. Em anos anteriores faziam no período de manhã, mas este ano foi a meio da tarde, o que é compreensível, porque hoje a forma de festejar a passagem do ano é muito diferente. Uma boa parte ainda está com ressaca das festas do dia anterior, então é melhor dar as Boas Festa um pouco mais tarde.
    Um outro aspecto a destacar é que apesar desta iniciativa ser da Banda Municipal, tem também integrado outros músicos locais que não fazem parte da Banda, daí aparecerem elementos não fardados. Parece ficar claro de que não é uma acto oficial.

    ResponderEliminar
  8. Foi o que nós pensámos, eu e o Adriano. Só assim se explicaria esta mistura de meio-fardados e totalmente desfardados. Digamos que se trata de coisa MESMO popular. O que também tem as suas virtudes, tornando-a mais genuína.

    Braça forte ao Zeca que nos deu estas maravilhas quase em cima da hora,
    Djack

    ResponderEliminar
  9. Sim senhor, nada contra o facto de se popularizar esta iniciativa.

    ResponderEliminar