sábado, 29 de março de 2014

[0796] Sobre o post anterior...

Ora a piada nestas coisas da investigação é puxar pelos documentos o mais possível. Neste caso, comecemos pela casa comercial. 

Como ali se vê, a Serra & C.ª do Mindelo tinha agente em Lisboa, a Pedro Coelho Serra e C.ª, com escritórios na Rua da Madalena, 201, 1.º, no coração da baixa (onde na imagem se vê o Bar Bora-Bora). Bem situada, portanto, e assim indiciando a sua importância. E essa categoria prestava-se a que fossem agentes no Mindelo da Empresa Nacional de Navegação (que deu origem à Companhia Nacional de Navegação - ver AQUI) e à Companhia de Seguros Bonança (ver AQUI). 

201 da Rua da Madalena, Lisboa
Para além disso, tinham "um vasto sortimento de mercadorias do país, nacionais e estrangeiras" ("do país e nacionais", erro de escrita, a não ser que do país, à maneira francesa se referisse a Cabo Verde...). E vendiam bilhetes postais e ilustrados, alguns dos quais decerto aqui temos visto, entre os muitos já mostrados. E artigos de viagem. E produtos por grosso e a retalho, como então se costumava publicitar.

Mais do que outra coisa, este anúncio e os que se seguirão, manifestam o sinal de um Mindelo cosmopolita e bem fornecido de mercadorias... para quem as podia pagar... aliás, como hoje.

Se mais algum comentador tem algo a dizer, é favor atacar com as suas observações - que todos nós agradecemos. Dissecar, escalpelizar e escavar no passado do Mindelo é o que de facto interessa.

1 comentário:

  1. Isto é que é vasculhar, Joaquim. Não há dúvida de que S. Vicente era apetrechado de tudo, em tempos recuados, fazendo jus ao cosmopolitismo que a urbe desde cedo conquistou graças ao seu movimentado porto.
    Não tenho memória desta casa comercial, mas do apelido Serra, sim, quer relativamente ao advogado que era pai do pianista Chico Serra e seu irmão, que é oficial da marinha de guerra reformado, ambos do meu tempo do Gil Eanes, quer ainda no que respeita a um João Serra, de S. Antão, que creio ter sido também causídico e presidente de câmara em Ponta do Sol. Este senhor defendeu uma causa da minha avó materna, em S. Antão, que teve a ver com uma questão de disputa de propriedade.

    ResponderEliminar