segunda-feira, 13 de outubro de 2014

[1099] Relógios na Torre de Belém, em reportagem com grande final (atente-se aos últimos minutos)

2 comentários:

  1. Uma feliz iniciativa a Exposição para dar vida à Torre.
    Desta vez a escolha coube aos relógios o que levou, obviamente, a falar de pontualidade, algo muito respeitado já pela educação já pela nossa antiga "mania de imitá inglês" no bom sentido.
    De lamentar que não consigam pôr a funcionar os dois únicos relógios da cidade: o do Município que devia ser obrigatório e o do antigo Telegraph que nos dava a hora certa (De tempos a tempos era regulado com um relôgio de precisão).
    Muitas pessoas iam, propositadamente, à tardinha, à porta da Western esperar que os ponteiros ficassem justinhos...
    Sabia-se quem chegava e quando a "quelques minutes prés".

    Espero que os Administradores do Museu tomem o exemplo da pontualidade e sejam regulares na escolha de vários outros temas.
    Parabéns !!!

    ResponderEliminar
  2. Bem que eu gostaria de saber quantos dos relógios expostos não terão sido vendidos pelo meu pai!?
    Devo confessar que achei a exposição pobre...Dá a sensação de que se limitaram a pendurar uns tantos relógios que, sendo do século passado nem sequer se podem considerar antigos...Quanto ao resto parece que, efectivamente, em Mindelo não foram só os relógios publicos que pararam: o tempo, também!

    ResponderEliminar