quinta-feira, 16 de outubro de 2014

[1109] Generosidade do Praia de Bote

Eu já sei que a maior parte do pessoal que aqui vem está mal de finanças. É óbvio, em tempos de governos ladrões, banqueiros ladrões e empresários ladrões, quem não rouba fica pobre. Mas isso também se deve a muitos não terem sabido guardar uns cobres em tempo de vacas gordas para o terem agora em época de bovinas magras. Aqui o Pd'B, sempre previdente, soube prevenir-se e como é generoso, resolveu dividir parte da sua vasta fortuna com os amigos. Quem é amigo, quem é? E, ainda por cima, dinheiro valioso, do Banco das Salinas... de sal... do Sal. 60 centavos, que é o foi possível arranjar, isto é, sêxton... Se acharem que é pouco, utilizem-no para temperar a sopa ou a cachupa...





4 comentários:

  1. Estas moedas antigas não são do nosso tempo são do Temp de caniquinha

    ResponderEliminar
  2. Pobre e mal agradecido! Vejam isto! José Lopes fica desde já riscado do Testamento do Senhor Djack... excepto se mandar a Banda Municipal tocar o "Ó Djosa quem mandóbe morrê"...

    ResponderEliminar
  3. Isto é contrabando que deve ser guardado a sete chaves porque mexe com qualquer numismata.
    Sem o ser, consegui algumas moedas de prata (arranjadas por um amigo Director da Banque de France). Foram-me subtraidas por um chefe. O gajo carburava a vinho branco e era cleptômano. Claro, não foi longe.

    ResponderEliminar
  4. Podem ser do Tempo da Caniquinha mas davam para comprar pom de midje e muita pirinha fdas ilhas.

    ResponderEliminar