domingo, 21 de fevereiro de 2016

[1916] Um novo selo, não cai do céu. Muito menos 1.000.000 deles. Ainda por cima sem virem das alturas, como tchuba... mas da central de dessalinização


Ver também post 84 de 2011, AQUI

3 comentários:

  1. Aínda tive ensejo de beneficiar com a água da Jaida, na casa onde morei na Rua da Moeda...A pressão era pouca, mas ter água vinda de fora do edifício a sair de uma torneira era algo de novo, mau grado as cisternas elevadas com o precioso liquido, fornecido pelos camiões do Alhinho, canalizado para a cozinha e para o quarto de banho...Um luxo!
    Braça molhado
    Zito

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grande Alhinho, o "water man", pai e avô de gente célebre dos futebóis e das músicas. Parece que o estou a ver.

      Braça com sargento da Armada (e ex-da Aeronáutica Militar) reformado,
      Djack

      Eliminar