quinta-feira, 3 de março de 2016

[1984] Ainda e sempre, os problemas do cabo-verdianos de São Tomé

4 comentários:

  1. Se não fosse tão trágico, isto parecia uma anedota das mais idiotas! Assim, é uma daquelas nódoas que perduram por falta de vontade política ou de simples bom senso...
    Braça triste
    Zito

    ResponderEliminar
  2. Para resolver este assunto espinhoso não se precisa de declarações mas de acções.
    Abrir uma Prepresentação na ilha do Principe não parece viàvel mas, em cntraartida, são necessàrias visitas.
    Com as técnicas modernas não é impossivel ter um serviço de ajuda. Basta a boa vontade que não parece haver para a resolução de um problema mais velho que a independência.

    ResponderEliminar
  3. Este é dos Problemas que não tem solução. Podem é arranjar alguns "paliativo" mas, ela ira manter sempre ao menos que aquele País atinja um estado de desenvolvimento que elimina de vez os problemas básicos das populações, tendo em conta os recursos naturais de São Tomé e Príncipe.

    ResponderEliminar
  4. Trata-se de uma espinha crava na nossa consciência. Pelos vistos, a solução é esperar que a lei da natureza resolva o problema, à medida que os antigos contratados forem desaparecendo.

    ResponderEliminar