sexta-feira, 23 de junho de 2017

[3019] É assim, mesmo assim e nada mais que assim...

Praia de Bote vai mostrar em breve dois textos alheios que tem em carteira. Contudo, pelo menos até final deste ano, não publicaremos nenhum outro que não seja nosso. Exceptuamos os relacionados com as homenagens a Manuel Ferreira e Baltasar Lopes que têm ou terão lugar em 2017.

Os materiais que nos enviam dão muito trabalho a preparar, devido à necessidade de cópia, reformatação, colocação, pesquisa ou edição de imagens e outros trabalhos que lhes conferem o aspecto limpo e acabado, quase de jornal electrónico, que todos aqueles que aqui vêm conhecem. No entanto, raramente recebemos a devida paga, que é barata mas mesmo assim não cumprida pela quase totalidade dos autores que a nós se dirigem para publicarmos os seus textos: apenas participar, conversar, comentar. Como já dissemos várias vezes, o Pd'B não é um serviço público...oficial. Podemos talvez considerá-lo oficioso... Digamos que é uma casa de amigos (e queremos que sejam sempre mais) entre si e do Mindelo, de São Vicente e de Cabo Verde. Não é lugar para cada um vir pedir publicação de textos e depois dar meia volta e nunca mais aparecer a não ser quando tem outro texto para lançar por nosso meio. 

Digamos então que amigos amigos, textos e trabalho forçado à parte. Até porque não nos falta matéria para aqui mostrar (antes pelo contrário) nem sarna para nos coçarmos…

Neste particular, até início de 2018 – e nessa altura apenas com autores que DE FACTO querem estar connosco e participar nesta praia. Nem que seja apenas para uma soneca debóxe d'bote enquanto o mar do Porto Grande até ela lança mil seixos e caroços de manga.

Entretanto, continuaremos, porque o Mindelo, São Vicente e Cabo Verde não param nunca.

Braça,

Djack

7 comentários:

  1. Tens toda a razão no que dizes, Djack. "Nem que seja apenas para uma soneca debóxe d'bote", pois claro. Mas se arranjares uma garrafinha de grogue no Boca de Tubarão, pode ser que se sintam mais aconchegados junto ao bote. E com um groguim no bucho pode ser que se lhes solte a língua... Até porque nha Mari Josefa, dona do botequim, disse assim: Adé, sê pa ês soltá sis linga na conversa ma Djack de Cuptania, m'tá dá esse grrafinha de graça, de certéza!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É que, meu coronel, isto aqui não é o da Joana; é o do Djack! Quando trabalho, gosto de ter retribuição, com os diabos. E já nem falo dos "outros", falo dos "nossos". Contudo, é como disse: continua a amizade mas trabói sim "dnhêr" (leia-se comentárioss) já cabá!!!

      Braça fula,
      Djack

      Eliminar
    2. E na Praia de Bote o grogue é "fidedigno", de trapiche verdadeiro, de cana verdadeira, de alambique verdadeiro. Aqui não se bebe zurrapa destilada à conta de baterias de automóvel.

      Claro que é racionado e só se bebe uma pinga de vez em quando, porque vir uma garrafinha das ilhas é raro. A última chegou pela mão do grande Brito-Semedo e está ainda intacta. Vai-se matando o gosto na do Germano, a tal milagrosa que nunca acaba.

      Braça sentada à porta do "Boca", a ver dois Montes Cara, em vez de um.
      Djack

      Eliminar
  2. Acho que lhe assiste carregadas de razão...

    Por mim falo (se me é permitido) : Há dias publiquei um artigo ( no falecido S.C.T.D)sobre um celebre casamento havido há mais de 100 anos em S.Vicente ,mesmo alertados via mail, nenhum familiar vivinho da silva, se dignou rececionar o mail... quanto mais comentar!

    "De borla só cachorro... mesmo assim ês tá levá que pau!

    Mantenha pâ gente e bom fim de semana



    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, é como eu digo, já nem falo dos anónimos mudos que aqui vêm. Desses, já desisti e nem falo mais neles. São casos perdidos para a causa dos comentários, ahahahaha.

      Braça para o reduzido mas altamente eloquente grupo dos que são MESMO desta praia.
      Djack

      Eliminar
  3. Primeiro a figura do Monte que de Cara... ca tem. Navios, sim !
    Seguidamente é o tema que se bate aqui que é a falta de coragem (ou educação ?) de pasasar e não falar mantenha. Ê como se servir, limpar a boca e... by-by !!!
    Penso que jà passou o tempo de "dà fiode" porque agora, nem todos os cães dão de graça porque os donos pedem uma compensação. Nem digo que profissão e essa que o PdB não tem. Mas... o Djack vai trabalhando porque é para Mindelo, Soncente e, claro, Cabo Verde.
    Braça e mantenha

    ResponderEliminar
  4. Sobre as ausências e desatenções, lembro-me de que há tempos publiquei no PdB um texto de homenagem ao antigo jogador de futebol Totói Mãozinha. Telefonei então para os familiares que usam a net virem aqui comentar e o resultado foi ZERO. Dei-lhes as indicações necessárias mas depois disseram que não acertaram com esta exótica Praia. Pachencha.

    ResponderEliminar