terça-feira, 5 de abril de 2011

[0058] Eu estava lá!... A visita de José de Azeredo Perdigão a Cabo Verde (e não apenas à Praia, como o cabeçalho do jornal dá a entender)

José de Azeredo Perdigão (clique na imagem)
O convite partiu de Leão do Sacramento Monteiro, oficial da Armada e governador de origem cabo-verdeana (mas nascido em Nelas, Viseu - 1920-2005)... de Cabo Verde (1962-1970). O convidado, José de Azeredo Perdigão, era figura das mais prestigiadas e respeitadas de Portugal, presidente do Conselho de Administração da lisboeta Fundação Calouste Gulbenkian. 

Nem a história de um nem a do outro são agora para aqui chamadas. Quem as quiser conhecer ou relembrar, encontrará basta informação na Internet.

O que interessa é a visitinha (27.Janeiro-2.Fevereiro.1965). Sim, a sessão a que aqui o escriba e o pai assistiram na sala do Liceu Gil Eanes onde o miúdo Djack tinha aulas de música com Nhô Reis, aquela grande, de rés-do-chão à esquerda do sino, quando no pátio para ele estávamos virados. 

Tenho uma vaga recordação de que o douto advogado e gestor cultural exortou a criançada a fazer como ele: trabalhar duramente, para poder chegar ao lugar que ele tinha atingido (ou semelhante). Do resto da conversa não ficou forte memória, mas desse conselho a lembrança é quase clara. Do programa fazia parte a inevitável almoçarada na Baía das Gatas. Uma cachupada? Quase certo...

A notícia é mais uma vez do "Diário de Notícias" de New Bedford, EUA, e datada de 26.Janeiro.1965. Quanto ao que se passou na Estrada de Corda, em Santo Antão, nem quero imaginar o que Azeredo Perdigão terá sentido. Talvez admiração pela mais que maravilhosa paisagem, talvez enjoo pelas voltas e reviravoltas, talvez medo daquele percurso infernal. Quem já a percorreu (como eu, duas  lonnnnnnnnngas vezes), entre Porto Novo e Ribeira Grande, sabe do que estou a falar...

"Diário de Notícias" de New Bedford, EUA, 26.Janeiro.1965 (clique na imagem)

1 comentário:

  1. Memórias, memórias. Esta é uma: era eu estudante da alínea "A" do sexto ano do Liceu da Praia, aquando da dita visita. Fomos, na altura, (um grupo de colegas) indicados pela nossa professora de português Dr.a Gabriela Mariano, para sermos ensaiados pelo grande poeta Gabriel Mariano, então Procurador da República, mais o ensaísta de mérito Dr. França, em casa do senhor Filinto Correia e Silva. Aí decorreram os ensaios dos Jograis do Liceu. Creio que o actual Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, também fazia parte do grupo. Ele era da alínea "E"
    A cerimónia (seria um «pôr-do-sol» um «Beberete» ou algo similar, em homenagem ao então Presidente da Gulbenkian) decorreu no terraço da Rádio Clube da Praia. Lemos, declamámos um conjunto de poemas, de entre eles, «Crianças» de Jorge Barbosa, que algum impacto teve entre os presentes (altas autoridades da época) no final da nossa récita o Dr. Azeredo Perdigão, abeirou-se do jovem grupo liceal, para nos dizer entre outros, cumprimentos e/ou elogios, que havia gostado particularmente de ouvir «Crianças» de Jorge Barbosa.

    ResponderEliminar